29 de outubro de 2006

Bailado



Pyotr Ilyich Tchaikovsky escreveu a música para um bailado a que chamou

Щелкунчик

ou

Shchelkunchik

ou, em português

Quebra-Ossos-Nozes.

26 de outubro de 2006

Grandes Portugueses

Estava eu a preparar-me para votar no D. João II quando comecei a ouvir, e a ver, uma certa "gaijita de olhar bovino".
Resultado:
Convenceu-me! Alterei mesmo o sentido do meu voto.

25 de outubro de 2006

Ranking 2006

Não falta por aí quem diga “cobras e lagartos” dos rankings das escolas.
Que não! Que não se podem estabelecer comparações entre escolas. Que cada escola tem o seu ethos. Que escolas com alunos diferentes têm de obter resultados diferentes. Outros há, que, rejeitando igualmente os rankings, argumentam que o que é fundamental na escola não são os resultados dos seus alunos, mas antes o processo desenvolvido. Estes últimos são aqueles que, por norma, abominam a avaliação do que quer que seja, muito menos dos professores, e que, em desespero de causa, se refugiam invariavelmente em critérios marcados por ampla subjectividade. Sempre dá para ir iludindo a realidade...
Não sou um fanático dos rankings, mas penso que todas as escolas podem beneficiar do conhecimento da sua performance.
Na nossa escola secundária sabemos bem que não devemos comparar-nos com os colégios privados das “capitais”, nem com as “escolas de referência” das grandes cidades. Não temos essa veleidade. Não nos passa pela cabeça, por exemplo, pedir “meças” à Alves Martins, o antigo Liceu Nacional de Viseu. Todos sabemos que se processa uma verdadeira “selecção natural” nas inscrições para frequência destas instituições (4); que um percurso escolar menos conseguido no Básico dificilmente será aceite por ali; que a generalidade dos alunos que lá andam, têm pais que investem na formação dos filhos, exigindo-lhes responsabilidades que outros não fazem. Pais cuja exigência perante a escola e os professores, não é inferior à própria exigência perante os filhos. E isso, na maior parte dos casos, é que faz a diferença.
Mas, o facto de sabermos isso, não nos impede de aferir, sem complexos, o nosso desempenho. De nos situar, comparativamente, em contextos geográficos e socioeconómicos semelhantes. De analisar os nossos resultados e o nosso percurso.
E de daí tirarmos ilações consequentes, obviamente.

(4) Também se verifica um processo destes nas inscrições para a Profissional de Torredeita.

Ver Expresso, Público e Correio da Manhã.

16 de outubro de 2006

Ultra-leve

Diz a revista do 24 Horas de Sábado, 14, que esta menina, enquanto anda a acabar três disciplinas do 9º ano, é manequim, embora se sinta mais à vontade como modelo fotográfico.

Tem 175 cm de comprimento e uma silhueta de 85-61-93. Tudo dimensões de aeronave, embora do tipo ultra-leve - 16 anos!!!

A questão é:

Se em vez de trabalhar na passerelle o fizesse numa fábrica, era considerado trabalho infantil... ou não?

15 de outubro de 2006

Tinha razão.


O ministro Pinho tinha razão.
O que ele se esqueceu foi de dizer que crise é que tinha acabado.

Qual infantilidade, qual carapuça!

Acabou, e acabou mesmo!

13 de outubro de 2006

Graças a Deus!

Louvado seja o senhor ministro Pinho por ter determinado o fim da crise.

Andava eu para aqui a preocupar-me com falências, encerramentos e deslocalizações. E ... afinal...

Viva o crescimento económico!
Pois se até já criou 48 mil novos empregos...

Estes tipos que se andam por aí a manifestar são uns ingratos. Bom, também se pode dar o caso de ainda não saberem deste anúncio.

11 de outubro de 2006

Selecção

Tudo teria sido diferente se nos tivessem deixado jogar com o Moretto, o Luisão, o Leo, o Alcides, o Karagounis e o Micolli!

Nuno Gomes

... continua a dar excelentes apontamentos.
Mas há qualquer coisa que não está bem. Parece que os polacos são mais.

__________________________________

Momento de desentendimento:
O árbitro não sabe que é normal marcar-se falta quando Nuno Gomes vai ao chão.

__________________________________

Nem Deco ... nem Ronaldo...
Tem razão o comentador: parece que os portugueses andam de muletas.

__________________________________

Golo... Golo... Golo....... Nuno Gomes.
Diz o comentador que ele é frouxo. Qual frouxo, qual carapuça!

9/11 - 10/11


Estou com os olhos bem abertos à espera de ver as luzinhas das explosões das cargas de detonação da esperada implosão do edíficio contra o qual chocou o avião engenho em New York.

Bendito Loose Change!
A História repete-se...

Estou a apreciar...

... a fantástica exibição de Ricardo Rocha.
Nuno Gomes também está ao seu nível.

10 de outubro de 2006

2006 dC = 1427 dM = 312 dV

Não resisti a copiar da Pública para aqui esta interessantíssima cronologia onde se fala de Voltaire, de Jan Huss e do Islão.

8 de outubro de 2006

Esta Guarda...

... não é a minha guarda.

Andam por aí a dar tiros em jovens civis, impedindo-os de exercer os seus ofícios e, pior ainda, atentando contra a sua segurança, o que se constitui como clara perseguição de uma minoria desprotegida.
Têm de ser detidos sem demora.
Não sabem que o vosso papel deve ser o de reprimir os pacatos papalvos cidadãos?
Ide mas é para a estrada vigiar os perigosos incumpridores ocasionais do Código da Estrada.

(imagem de http://static.flickr.com/34/113411549_21008d0dc4.jpg)

6 de outubro de 2006

Expressividade

A riqueza e a "força" do vernáculo português ficam bem expressas nestas conversas gravadas:














(DN de 05/10/2006, p. 17)

4 de outubro de 2006

Até nos USA?

Whirlpool deslocaliza-se para o México e despede 1200 postos de trabalho nos EUA

Senhor Bush, você é um borrachão ainda maior do que dizem por aí. Se você nem consegue obrigar uma empresa americana a continuar a laborar na América, como se poderia esperar que as obrigasse a "cumprir contratos" noutros países?
Que vergonha, senhor Bush.

1 de outubro de 2006

SCUT - Desvendado o mistério!

Estive na inauguração do último troço da A25: Mangualde – Boa Aldeia. Alguns pensam que lá fui para “aparecer” ao lado do senhor primeiro-ministro. Coitados... Ignoram os deveres dos anfitriões. Que Deus os ilumine…

Bom, mas aprendi lá duas coisas.
A primeira foi o desvendar do mistério: A que se deveu a decisão de não portajar a A25?
Pois bem, como se vê na foto, a A25 não terá portagens em resultado da luta da Comissão de Utentes contra as portagens, ai, Comité de Luta contra o encerramento nocturno dos SAP, bolas, Movimento contra o encerramento das escolas, apre!, do PCP!

A outra, foi a razão pela qual o traçado da A25 é o que está a vermelho, com aquela curva terrível já chamada de "bossa do camelo", em vez de ser, mais ou menos, o que pintei a verde (é uma pena as fotos do Google Earth terem mais de um ano). Mas isso fica para outra vez.