29 de julho de 2007

Chumbou?

Chumbou nos testes físicos?
...
Será que os avaliadores estão à espera que a menina se inscreva para melhoria de nota?

25 de julho de 2007

Antes do tempo

Há uns meses largos estabelecemos uma parceria e equipámos a escola com Quadros Interactivos.
Demasiado cedo. Se fosse hoje, os quadros já poderiam ser fornecidos com alunos aplicados e tudo.

21 de julho de 2007

Acção sindical


45 mil na Fenprof, hem? E pagam quotas, naturalmente. 1% do vencimento!
Ora deixa lá ver:
A média deverá andar pelo meio da carreira; 6.º escalão; 1.750 euros, ou seja 17 euros e meio para o sindicato. Multiplicando por 45 mil dá uma receita mensal de 787.500 euros. Agora só falta multiplicar por 12 meses para ver a receita anual que é de 9,450,000 €.
Em números redondos, 9 milhões e meio de euros, que é como quem diz 2 milhões de contos!

É um bocado de massa, pá!

Até dá para pagar os ordenados dos dirigentes.

Não era caso para tanto barulho.

18 de julho de 2007

15 de julho de 2007

"Carmona à frente de Negrão"

Está a ver, Dr. Mendes?
E agora?

Junta Médica

Cancro na mama + Cancro no útero + Cancro na língua

Considerada "apta a trabalhar" pelo médico chefe do serviço?

Isto parece ser grossa asneira mas, como se vem juntar a outras asneiras de iqual calibre, não podemos pôr de lado a hipótese da asneira resultar do cumprimento de "orientações legais", não é?

14 de julho de 2007

9 semanas e 6 dias?

Não pode ser!
A Lei diz que são 10 semanas e, portanto, faltam aqui 23 horas e 59 minutos e alguns segundos.
É até ao exacto instante... e mais nada!

Cá está mais um flagrante exemplo de autoritarismo. Sempre a limitarem os direitos conquistados. Chiça!

12 de julho de 2007

Como no futebol


É tudo uma questão de "intensidade".


Em minha casa posso...

... mas, à cautela...

Os posts que aqui coloco:

  • não são enviados de nenhum gabinete, nem mesmo do interior de uma instituição da administração pública;
  • não são enviados de um computador de um organismo público;
  • não são enviados durante o horário de trabalho;
  • não demonstram grave desinteresse pelo cumprimento dos deveres gerais de lealdade e correcção, pelo que os não viola;
  • são enviados em observância das orientações superiormente fixadas para a prossecução e implementação das políticas definidas pela tutela;
  • não são comentários jocosos;
  • muito menos insultuosos;
  • nem tratam o Exmo. e Ilmo. Senhor Primeiro-Ministro com sentido depreciativo e injurioso.

Viva o Senhor Primeiro-Ministro!


(Recebido por e-email e adaptado)

11 de julho de 2007

Conservado em sal

Este extracto de entrevista está tão bem conservado que parece vindo directamente duma salgadeira beirã. Ora vejam:

Entrevista de Manuel Salgado




O problema desta ideia para Lisboa (e para a Portela, e para a Ota, e para Alcochete) é o da contradição.
É que não temos ouvido o N.º 1 defender o grande centro de negócios do país nos terrenos da Portela. Tem falado, isso sim, de uma ampla zona verde.
Ora, o N.º 2, pelo seu lado, quando congeminou esta ideia, estava a pensar em retirar apenas metade da área da aeronáutica.
Mas agora, que a retirada evoluiu para a totalidade, o que prevalecerá?


- Um enorme - o maior - centro de negócios da península?
- Uma enorme zona verde?
- Ou será um meio-por-meio para haver acordo “costa-salgado”?

10 de julho de 2007

Santa ingenuidade

A minha, claro.
Só agora aquilatei que Ota ou Montijo, margem norte ou sul, cidade ou deserto,... não é isso o mais importante. O verdadeiro "negócio" está mesmo aqui. É, não é?

6 de julho de 2007

Loja de Chinês

Seria, provavelmente, a maior do mundo. Caso para o Guinness Book of Records. Mas deve ser apenas um estratagema para fazer subir a cotação.

4 de julho de 2007

Exames chumbados

Penso que toda a gente percebe que os exames, para além de darem a conhecer o nível de conhecimentos atingido pelos alunos - por todos e cada um quando colocados nas mesmas circunstâncias - permitem que cada comunidade se aperceba do desempenho da "sua" escola, quer em termos absolutos, quer relativamente às suas congéneres.
Penso que toda a gente sabe, também, que o conhecimento daqueles dados leva a que as escolas reflictam sobre a respectiva organização e metodologias, introduzindo inovações no sentido de, no ano seguinte, poderem apresentar um resultado melhor.
Isto é, penso que toda a gente compreende que a generalização dos exames conduz a melhorias do nível de proficiência dos alunos, que é o que mais interessa em todo sistema educativo.
É por isso que acho absolutamente normal que aconteça isto: