29 de março de 2012

Mais uma vergonha para a Justiça portuguesa

Não provaram quando, onde e como o dito cujo terá matado.
Nem sequer provaram que alguém tenha morrido.
O que se sabe é que desapareceram.
Vai daí, arranjaram-se quatro jurados para "benzer" a condenação.
Triste investigação criminal a nossa.
Uma lástima!

5 comentários:

carneiro disse...

Nas situações em que não existe o corpo do morto, o MºPº requer jurados para que seja o sentimento, a exaltação e a manipulação psicológica e emocional a ditar o resultado dos julgamentos.
Qualquer dia estamos como na América.

Agnelo Figueiredo disse...

Pois é isso mesmo.
Mas, e só pelos filmes, tenho a ideia de que na América só há acusação com corpo.

Anónimo disse...

senor ingenhero, fiz por estas bandas um comentario relativo a nova liderança concelhia. nao foi pulicado, ms foi comentario de alguem da mesma cor, que alinho pellas mesmas ideologias, mas que penso, no fundo da minha ignorancia, que poderia existir outras escolhas, bem mais acertadas. ser politico, nos lugares de topo, nao basta se.lo nem parece.lo, e preciso nervos de aço para agregar varias opinioes. e preciso sorrir para todos.

Anónimo disse...

Atão?
SpOOOOOOOOrtinG!!!! :-)

Convidada
-

Anónimo disse...

Ao intervalo....SPOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOrtinGGGGG !!!!

:-)

(Convidada)