28 de abril de 2012

Asneira!

E da grossa.


O Governo decidiu alargar o regime especial dos institutos públicos a, pelo menos, quatro novas entidades, libertando-as da obrigação de indexar os salários dos seus gestores aos praticados na administração central.


Vá lá que, mesmo assim, ficam limitadas pelo vencimento do 1.º ministro.

3 comentários:

Anónimo disse...

Sobre estas e outras excepções, aconselho vivamente a ler a cronica de Pacheco Pereira no Publico de ontem...o homem deve estar doente...Diz,
com todas as letras, quem vive literalmente a crise e quem passa ao lado dela.
Mais: O que isso está a mudar a vida da maior parte dos portuguueses, para sempre.
A ler!!
.
.
.
Estrangeiro

Anónimo disse...

Mas nós e os Gregos não estamos sózinhos...Agora é a Espanha que entra em bancarrota tambem...Rajoy põe-te a pau que os nuestros ermanos não são tansos como nós.
E com estes milhoes todos de desempregados no mundo, a coisa só pode estoirar mesmo. Tansos são os politicos que ainda não percebram isso...

http://economia.publico.pt/Noticia/cerca-de-202-milhoes-de-pessoas-sem-emprego-este-ano-1544103

-

carneiro disse...

O que está a minar a confiança e a hipotecar a recuperação é a actual desigualdade na distribuição dos sacrifícios.

Ou a questão das PPP se resolve rapidamente ou o PCoelho perde em definitivo o benefício da dúvida.

(Já agora, quanto é que a Associação 25 do 4 recebe de subsídios anuais ? Estou farto de procurar, mas não encontro. Deve ser segredo de estado)