8 de novembro de 2012

Isabel Jonet

Dizem que passou de bestial a besta.
Deve ser porque lhes doeu ouvir estas verdades.
Apercebi-me bem disto no tempo em que andei na política: a malta fica zangada quando lhe dizem a verdade; a malta quer que lhe digam aquilo que quer ouvir, mesmo sabendo que é mentira ou impossível.

11 comentários:

BlueShell disse...

A "verdade"! O que é a "verdade"?Que verdades se escondem sob o nosso nariz? Sem as vermos, sem as "sabermos"! Mas elas estão lá....as "verdades"!

Anónimo disse...

Neste caso, concordo absolutamente com ela, no que toca à sociedade consumo actual. è um absurdo o ponto a que se chegou...veja~se nas lojas de pronto-a-vestir das cadeias internacionais ou nos telemoveis,etc,etc...os objectos NÃO trazem a felicidade às pessoas!
MAS, discordo completamente com as razões que ela aponta (e a Dtª tambem diz o mesmo)! Distorcem a realidade misturando os bens de 1ª necessidade, comida, habitação, até a educação, com o consumismo desenfreado de objectos.
Eu queria os ver a eles politicos e esta cambada toda, dizer à família deles próprios que, por exemplo, vão ter que entregar a suas casas pq perderam o emprego e nao podem pagar nem a comida dos seus filhos qt mais a casa...É fácil falar monstruosidades destas qd se tem contas bancárias gordas de ordenados chorudos por pertencerem à classe dirigente ou cunhas; ou de negociatas de colarinho branco; ou em off-shores ou porque os bancos e seguros andaram a mamar o nosso dinheiro!

Quem são estes fdp todos que têm milhares euros nas suas contas para dizer ao povo que está na miséria, desempregado ou a trabalhar para pagar a divida e as PPPs e chulados até ao tutano, para viver com menos??!
Em Espanha, há pessoas que já se andam a suicidar qd a policia lhes vai lá a casa p os despejar! e aqui com a subida das rendas e IMI vai dar no mesmo.
Tenham vergonha os politicos governantes mais a Troika e o FMI!!!
Olha, eu cá, não devo nada a ninguêm! Paguei sempre a pronto o pouco que comprei, e nao tenho nenhuma mensalidade nem prestaçáo de coisa nenhuma!! Nao tenho casa.Já nem carro tenho! Nao tenho telemovel topo gama, nem nada! E os nossos politicos têm tudo e mais algumas botas!! P... Q...os P...!!! Nao fazem a minima do que é viver com mil, 500 ou 300euros mês! FDP !!!!! OS MerkelsTroikanos que vao chular a mãe deles. Pq nao cobram os juros que cobram aos bancos??! LADROES!!!!!!!
Eu nao devo nada a niguêm!
-
Bjs
Convidada

Isabel disse...

De acordo. Eu quero ver se ela também passa a tomar banho de 8 em 8 dias para poupar água...
Há miséria, sim...debaixo do nosso nariz!

carneiro disse...

ela tem razão, sobretudo na parte que ela conhece por trabalhar com a efectiva pobreza há 20 anos.
Certamente que cada um de nós conhece excepções á regra por ela enunciada.

Eu recordo aqui uma reportagem da TV, com um casal de desempregados, numa casa melhor do que a minha, a queixarem-se da falta de comida para os filhos e na bancada da cozinha via-se um bebedor da "Agua Viva" com o garrafão invertido.

Eu há 6 anos que deixei de ser cliente da água engarrafa no meu local de trabalho porque aquilo custava 35 € por trimestre mais 5 euros por garrafão de 19 litros. passei a beber da torneira.

Numa escola em sacavém há miúdos que vão de manhã em jejum, mas com telemóveis de 300 euros no bolso.

Nas universidades, há alunos que não tem dinheiro para o almoço na cantina, mas têm 30 € para irem á noite á aula magna ver o guitarrista XPTO.

Era a estas situações que a Jonet se referia. Malta que não tem dinheiro para pagar a casa ao banco, mas que acha que deve continuar a comer bifes todos os dias.

Devo salientar que nem sou grande adepto do Banco alimentar, pois desde há muito tempo que aquilo se transformou num local de acesso fácil para oportunistas. Há gente que lá vai que não precisa. Em Chelas, eu vi malta do rendimento mínimo a ir levantar os sacos com produtos do supermercado da Igreja Universal RD - que não tem culpa e que servia de distribuidora - e, chegados cá fora iam tentar vender o kit de sobrevivência.


Anónimo disse...

Sim é preciso não esquecer que as pessoas passam fome porque querem. São pobres porque querem. Estão desempregadas porque querem. Estão doentes porque querem. È assim que pensam os liberais .
pensem primeiro porra

Isabel disse...

Falam-me de casos esporádicos moralmente condenáveis e eu falo de casos de fome...Dou só um exemplo, só e penas um: semana passada- tive (é uma forma de expressão) de emprestar dinheiro a um aluno para ele comer!!!! Bem aqui à porta de casa! Olhai....ainda bem que não há miséria!!! Porra...se houvesse...como seria?
Claro que há os que vivem com bons carros, boas vivendas, tiram férias de luxo em fins de semana...Os outros, os que não têm o que comer são piegas e lambões...uma cambada de preguiçosos que nunca se preocupou em fazer um "pezinho de meia no BANCO" para precaver o futuro.
Houve um período em que se incentivava ao consumo: interessava aos bancos, interessava ao comércio e indústria e as pessoas agradeciam. MAS ISSO vem desde o período cavaquista, não é obra dos "socialistas" como muitos querem fazer crer! Os governos socialistas gastaram sim, em infraestruturas, em técnicas/medidas propícias ao desenvolvimento do país.Barragens , energias alternativas, estradas, equipamentos e por aí adiante!
Incentivar o consumo desmedido é muito diferente e é uma filosofia neo-liberal, carago! Se não sabem...aprendam! Até o meu husky, com um olhito de cada cor, sabe disso!!!

I disse...

O inacreditável:
http://www.escolasdemangualde.pt/

Afinal sempre vi o que vi...pensei que tinha tido um pesadelo!!!
Mas isto são as "Eleições"? A que propósito? Os pais sabem o risco que os filhos correm DENTRO DA ESCOLA????
É por estas e outras que a escola pública está como está....Um circo, uma palhaçada fomentada pelos órgãos de gestão...
Lamentável....chegar-se a este ponto!

Ricardo disse...

Há gente que pensa que a escola de hoje deve ser como a de há 50 anos. E essa mesma gente gosta de usar o adjetivo formado a partir do nome próprio "Salazar". A avaliar pela surpresa, e pelo destaque em maiúsculas, supõe-se que preferiria que o risco fosse fora da escola, não?

Pedro disse...

Durante anos e anos poucos foram aqueles que alertaram para o caminho que Portugal estava a desbravar rumo à bancarrota. Agora, muitos daqueles que votaram nos governos de Guterres e de Sócrates (governaram durante 12 dos últimos 15 anos antes da troika cá entrar) têm dificuldade em assumir que também eles são responsáveis pela situação de pré-bancarrota que tomou conta de Portugal. Eu tenho a consciência limpa: nunca votei no PS...
Agora criticam quem lhes faz ver o estado a que o país chegou e os que tentam tirar o país do buraco em que os socialistas o colocaram...
Jonet falou verdade: uma verdade que poucos gostam de ouvir (aqueles que só gostam de falar em direitos e se esquecem dos deveres).

Jimmy Johnson disse...

Depois de ouvir «Em Portugal, não há miséria.», decidi que já chegava de «tiice».

Se a senhora dissesse que o consumismo é uma badalhoquice e não é possível manter os níveis atuais, eu batia palmas.

Agora quando disse o que disse, só fez merda.

Já veio dizer que foi mal interpretada. Bom,se é assim, que cuide da comunicação antes de abrir a boca.

Anónimo disse...

Definitely believe that which you said. Your favourite justification seemed to be at the internet the easiest factor to bear in mind of.

I say to you, I definitely get annoyed while folks consider issues that they just do not realize about.
You managed to hit the nail upon the highest and outlined out the entire thing
with no need side effect , other people can take a signal.
Will probably be again to get more. Thanks

Have a look at my webpage 1 hour payday loans