1 de agosto de 2008

Cartão amarelo


Ouvi vários gurus da "ciência" política a desvalorizar a intervenção de hoje do Presidente da República.

Creio que se enganam: A dramatização e radicalização foram intencionais.
O Presidente, efectivamente, não esteve a falar apenas da Autonomia dos Açores. Mais concretamente, referiu opções políticas e institucionais divergentes das do Governo.

E fê-lo perante o País.
Ou seja, alertou os portugueses para o que poderá vir a suceder.


Conforme se toca, assim se dança!

Sem comentários: