22 de março de 2009

Euforia da vitória

Michael Schumacher tinha cortado a meta em primeiro lugar no Grande Prémio de San Marino de 1994, em Ímola. No pódio, mesmo já depois de saber que Ayrton Senna estava às portas da morte - na sequência do acidente que havia sofrido quando liderava a corrida - Schumacher sorria de satisfação e também saltava euforicamente, tal e qual como se tivesse merecido a vitória.
Achei asqueroso.
A partir desse momento, embora lhe viesse a reconhecer talento, nunca consegui colocar Schumacher no mesmo plano que verdadeiros campeões, como Jochen Rindt, Jackie Stewart, Emerson Fittipaldi, Niki Lauda ou Nigel Mansell, nem sequer que aquele calculista do Alain Prost.
...
E ontem vieram-me à memória estas imagens...

Sem comentários: