26 de julho de 2005

Paradoxo

A polícia inglesa, com ordem para "atirar a matar", abateu um cidadão brasileiro em circunstâncias que ainda não conheço em plenitude. O que é certo é que, pese embora a atitude, eventualmente suspeita, do sujeito, foi abatido.
A própria polícia veio lamentar o sucedido, afirmando que se tratou de um erro! O homem foi morto "por engano"!
Ora, este triste episódio, lamentável, está a desencadear uma onda de protesto e indignação por todo o mundo: a polícia matou um homem "por engano".
Pois ... os que iam nos comboios e no autocarro não foram mortos por engano. Foi mesmo "de propósito".
Compreende-se...

O que nos vale é que ainda há quem não tenha medo (nem vergonha) de escrever:

We believe that democracy and human rights are worth defending with all our strength. The human values of respect and tolerance and dignity are not 'western' but universal.

E tem mais aqui.

Sem comentários: