7 de dezembro de 2011

Este caloteiro que nos enterrou


Nunca fez de tenção de pagar nada.

Pedir emprestado e não pagar é que era a lógica.

Até o meu cão, pá!

Sem comentários: