26 de setembro de 2012

A DÍVIDA EXISTE MESMO?

Ainda há muitas pessoas que não fazem ideia de como chegámos a este lamentável estado do nosso Estado.
Ora, com o seu normal sentido de humor, JCD explica o fenómeno com enorme simplicidade.

É SÓ LER, Senhores. Está AQUI.


8 comentários:

carneiro disse...

A malta não entende que a FP e os reformados só vão receber o vencimento de Novembro se a Troika cá meter mais um cheque de 4,2 mil milhões. Porque conforme estamos neste momento não há dinheiro.

Anónimo disse...

A outrA malta tambem não entende que se isso acontecer o Governo cai e a malta não arreda pé da rua até mandar a Troika para a p... que a pa...

Anónimo disse...

Qualquer pessoa de direita com dois dedos de testa, em portugal, já não esconde públicamente, que está visto que esta 'receita' Troikana não funciona. Os resultados estão à vista. Cá, em Espanha, na Grécia, etc.
Mais: o Governo ficou completamente desacreditado quando disse que em 2013 as coisas iam melhorar e afinal vão piorar e muiiiiiiiiiito.
Incompetentes ou desonestos...

Convidada

Anónimo disse...

E comes o quê se o governo cai e se a troika for "expulsa"?

É que os imediatos prejudicados são os reformados e os Funcionários públicos que não receberão ao fim do mês.

è ver o que aconteceu na Russía quando implodiu o experimentalismo social comunista e ver oq ue aconteceu na argentina.

A questão não é de esquerda nem de direita. é de sobrevivência.

Sobrevivencia também política daqueles que agora são contra só porque nunca foram a favor de nada de jeito.

Anónimo disse...

Chega uma altura da nossa Vida em que não nos podemos baixar mais
ou ficamos sem rabiosque...
Esse momento é agora.
A dignidade não se troca por pão!
E não estamos sózinhos, é um problema Europeu. Começar do zero sem os agiotas que vivem dos juros da dívida!

carneiro disse...

Mas quem quiser ser digno, é fácil: ao fim do mês não receba o vencimento, pois é esse vencimento que o obriga a levar na peida logo a seguir com as imposições dos porcos capitalistas que cá metem a massa.

Aliás se todos os pensionistas e funcionários publicos abdicassem de receber o dinheiro dos desprezíveis capitalistas, a dívida pública vinha por aí abaixo e a Troika deixava de ter pretexto para impor as degradantes condições que têm imposto.

Digo eu, e outros como eu, que por não sermos funcionarios públicos nos custa ver tanta refilice exactamente por parte daqueles que são os directos beneficiários dos dinheiros da Troika.

Anónimo disse...

...com pessoas atrasadas assim, nao vale a pena argumentar. É sempre a mesma coisa. Dê voçê a peida ao buraco do BPN por exemplo. Que dava para pagar tudo e mais alguma coisa. Nao sabem o que dizem. Continue a baixa5r a peida para eles e a dizer mal dos FP que há-de chegar longe. É o quje eles querem atrsado!ENfim...

carneiro disse...

Não é dizer mal dos funcionários públicos. è perceber que nos últimos 10/12 anos quem fazia férias no estrangeiro e quem trocava de carro a cada 3 anos, eram os funcionários públicos, enquanto a economia privada definhava. É ver as estatísticas e perceber que a FP énquanto esteve no bem-bom cagou-se para a solidariedade nacional. Agora que lhes estão a nivelar os salários para as possibilidades da economia real, aqui del-rei.

O Krugman (?) (prémio Nobel economia) quando fala contra a austeridade é um herói da esquerda, mas ninguém se lembra que ele sempre afirmou que perante a impossibiliddae da desvalorização da moeda, só restava baixar os salários portugueses em relação à alemanha em 30 %.
è o que está a acontecer. Infelizmente, estrangulando a economia privada que é o que cria riqueza e paga impostos reais.

Porque na FP o IRS dos salários é uma mera operação escritural, dá-se com uma mão para se tirar com a outra. Aliás, em 1987 (?) quando entrou em vigor o IRS, a FP não pagava Imposto profissional sobre os salarios. E para se fingir que passava a pagar imposto como os outros , nesse mês inicial, cada funcionário público foi aumentado até ao tostão exactamente na medida do imposto que lhe passou a ser cobrado. Por isso, o IRS sobre os salários da FP é dar com uma mão e tirar com a outra. Quem verdadeiramente paga impostos sobre a riqueza que produz é a economia proivada que desde há 12 anos anda a ser estrangulada só para garantir o pagamento dos salários da Função Pública.

Mas para perceber estas coisas é preciso ver um boicadinho para lá do respectivo subsídiozinho de natal. E como somos um país de broncos, cada qual pensa no seu subsidiozinho e se lho tiram, chora e berra. Por iso, berra e chora para aí que não te vai servir de nada. Com este passos ou com o Tózé, vai continuar a não haver dinheiro que chegue para manter o nível de vida aos funcionários públicos, nem sequer para os menter protegidos do desemprego.
è que há portugueses que, desde sempre, estão sujeitos todos os meses a perder o emprego. E esses não andam nem em greves nem em manifestações. Esses estão preocupados em ajudar os patrões em manter as empresas a todo o custo, pois todos dependem disso.