16 de outubro de 2012

Cortar na despesa

Exato!
Mas com esta estrutura de despesa, pode cortar-se ONDE?

Ah! Já sei:
Despedem-se funcionários públicos e baixam-se as pensões de reforma.

3 comentários:

Pedro disse...

Aqueles que falam de boa cheia sobre o corte na despesa do Estado e depois não querem ouvir falar em redução de vencimentos, em corte de subsídios ou em diminuição do número de funcionários públicos são daqueles que criticam de forma baixa e não de forma construtiva.
E ainda desvalorizam os cortes nas PPP`s, no fim das obras faraónicas (TGV, auto-estradas, aeroportos...), os cortes nas fundações e outras poupanças!

carneiro disse...

Claro que se tem de cortar nas pensões de reforma.
Os 270 mil reformados que vão ser abrangidos pelos cortes, ou seja, que estão acima dos 1350/mês, representam 8% do total dos reformados.

Os outros 92% dos reformados não são afectados pelos cortes.

Por isso o PC anda em greves e manifestações desde há um ano a defender apenas os reformados privilegiados, em especial da FP, que recebem de pensão muito mais do que aquilo que descontaram e que estão a cima da média dos rendimentos do "povo" com que eles enchem a boca.

Como dizia uma fulana na TVI há umas semanas atrás ácerca da gratuitidade da vacina para a gripe para os + de 65 anos : "Porquê de borla ? Os reformados tiram mais por mês do que eu que ando a trabalhar..."

Em tese geral, convém perceber, agora que estamos a pagar o socialismo directamente com os nossos impostos e não com dívida para ser paga pelos nossos netos, que o Estado social nos sai muito caro.

Talvez agora que se acabou o dinheiro dos outros, o socialismo tenda a acabar na cabeça das pessoas. E este socialismo não é apenas o socialismo do PS. è o socialismo instalado que faz viver tudo á custa de subsídios.

Anónimo disse...

Mas isso significa que o Pedrito mentiu quando dizia que existiam gorduras do estado e que seria fácil cortar as gorduras.