26 de outubro de 2012

Custo médio por aluno

O Tribunal de Contas acaba de concluir que no ano letivo de 2009/2010, o custo médio por aluno nas escolas públicas do ensino não superior foi de 4.415,45 €.
Em Mangualde contabilizamos por ano civil.
Em 2010, um ano atípico - até julho as escolas funcionaram de forma independente e agregaram-se em agosto - o nosso custo médio foi de 4.448,71€.
Muito perto do valor nacional.

3 comentários:

Anónimo disse...

Caro Agnelo, sei que este não é o 'post' correcto mas gostaria de lhe enviar uma informação acerca de mais um procedimento 'estranho' por parte da tutela em relação aos concursos de OE das TEIP e Autonomia. Disseram eles, durante as inspecções do IGEC às escolas, que o manual do concurso que servia de apoio às Escolas estava disponível desde o dia 9 de Agosto na área de Escolas no menu Contratação. Gostaria que verificasse com os seus próprios olhos o que está lá, nesse mesmo dia, nada mais que um Manual de Instruções datado de...espante-se. 19 de Outubro de 2012.

Penso que esta manobra, não é mais que uma forma de desculpar os erros cometidos. Posso até mostrar que o Manual anterior, de Abril de 2012 (V03), vinha com páginas que foram suprimidas convenientemente do Manual de Outubro (V04). Entre elas estão: Os critérios proibidos, que nada se enquadram nos critérios que publicaram na circular de 16 de Outubro e a validação dos critérios por parte da Direcção Regional. Pelo meio, foi publicado um resumo de um Manual, que nada explica, em Agosto e com apenas 18 páginas que serve principalmente para o Concurso dos Técnicos Especializados.

Aqui deixo o link onde se pode verificar mais esta 'trafulhice' da tutela.

http://www.dgae.min-edu.pt/web/14650/103

Cumprimentos
MA

Pedro disse...

Com a agregação das escolas, a redução de turmas e dos docentes contratados e os cortes dos subsídios, o valor médio por aluno em 2012 deve estar bem abaixo dos 4000 euros.

Agnelo Figueiredo disse...

Caro MA

Não esqueça que a IGE, atual IGEC, é uma bolsa de resistência da esquerda eduquesa em Portugal. São eles e o CNE.
Quanto à publicação, no final de Outubro, de um manual com data de Outubro, como se fosse de Agosto... é de esperar tudo...
O MEC fez fez asneira da grossa ao anular os concursos a esmo e agora está com medo de não conseguir ganhar qualquer processo. E se os diretores forem tesos, não ganha nenhum. A não ser que haja uma ou outra falha processual.
Enfim, uma vergonha!