26 de junho de 2008

Machadada

Foi contra este Código do Trabalho que o Partido Socialista se bateu quando estava na oposição, aliás com galhardia, ao lado dos comunistas e bloquistas. Reclamava, então, a imediata revogação daquilo que era um ataque desenfreado aos direitos dos trabalhadores.
Acabou por não o revogar mas, ao fim de três anos, os socialistas vão alterá-lo.

Todavia, há quem diga que as alterações que os socialistas querem fazer ainda vão mais contra os trabalhadores. Por outro lado, mantendo a posição de outrora, o PSD saúda o acordo e diz que as alterações vão no sentido positivo.

E os tipos que votaram nos socialistas? Saúdam ou nem por isso?

23 de junho de 2008

Demasiado fácil

No exame de Matemática “não havia nenhuma questão que permitisse distinguir um aluno de 18 de um de 11”.

Ui, ui, ui, ui... Estes miúdos não conhecem a finalidade igualizadora plasmada na Lei de Bases do Sistema Educativo! Vejam lá... "distinguir"... tsss, tsss, tsss...

Violência escolar

Diz o senhor Debarbieux que não basta agitar o cassetete; é preciso tomar medidas de apoio às vítimas, mas também de apoio aos agressores !
Apre!
São mesmo estes os tais cientistas.
O mais curioso é que a própria jornalista diz que o senhor é presidente do Observatório Internacional da Violência Escolar, uma organização não governamental “científica”... com aspas e tudo!!!
Já nem os jornalistas...

19 de junho de 2008

Provas de Aferição

(esta parte é real)

A Senhora Ministra veio dizer, rejubilando, que os resultados melhoraram imenso, tanto no 4.º ano como no 6.º e que a percentagem de alunos que ficaram nos dois escalões mais baixos é muito pequena. Ainda bem!
E nem me passa pela cabeça, como ao tonibler, criticar esta pergunta por ser demasiado fácil para testar conhecimentos de Matemática do 6.º ano. Nada disso. Fiquei mesmo satisfeito.
Fiquei tão satisfeito que fui ao sítio do GAVE para ver as provas e respectivos critérios de classificação.
Só que não estão lá. Aquilo que lá está com o nome de critérios de classificação são, afinal, critérios de correcção. Servem para categorizar as respostas que os alunos deram: se o aluno respondeu assim à pergunta tal, atribui-se-lhe o código X, se respondeu assado, terá o código Y, e por aí fora. Mais nada.
Fui ver a própria grelha de classificação e também lá não existem cotações. Isto é, depois de preencher a linha de cada aluno, fica-se sem saber quais as respectivas classificações. Este miúdo teve A, B, C, D ou E? Não se sabe!
Ora, tratando-se de um processo de avaliação do nosso Sistema Educativo, logo algo de muito importante, parece-me desejável que esse processo pudesse ser escrutinado pelos cidadãos interessados. Que fosse transparente; que fosse público; que se soubesse a cotação de cada questão, se fosse o caso, ou então, que se soubesse quais as questões relevantes para alcançar a classificação de E, de D, de C e por aí fora. Mas não. Não se sabe nada. Não foi publicitado.
Vai daí, perguntei a uns amigos que foram supervisores, e também a outros que foram classificadores das provas, e nenhum me soube dizer. Mais concretamente, não encontrei quem quer que fosse que me explicasse por que é que o miúdo Fulano teve A e o Sicrano teve B.
Ora digam-me lá se isto não é estranho?
Eu acho que isto é muito chato, até para os próprios alunos. Por que é que tiveste B? Não sei!
Bom, mas alguém deve saber. Não sei quem, mas alguém há-de saber!
Quem me ajuda?

(esta parte é ficcional)

Imagine-se que isto não se passava no nosso Portugal e, em vez disso, era num país sujeito a um governo autoritário, irritadiço, fustigado com manifestações de descontentamento de vários sectores profissionais: professores, pescadores, transportadores, agricultores e outros agitadores. Um governo com necessidade de apresentar boas notícias que animassem o povo. Uma situação, portanto, ao contrário da portuguesa.
Ora, se os critérios não fossem publicitados, podia-se começar por recolher as respostas de todos examinandos. Em seguida, viam-se quais as questões que tinham sido melhor respondidas e as que tinham péssimas respostas. Finalmente, atribuíam-se cotações elevadas às primeiras e muito baixas às segundas. Até podia não se contar uma ou outra em que tivesse ocorrido um descalabro. Está-se mesmo a ver que os resultados dos alunos seriam excelentes! E, como o processo era secreto, ninguém poderia levantar qualquer problema.
O objectivo seria plenamente atingido: a conferência de imprensa seria um êxito e o ego do povo sairia reforçado.

14 de junho de 2008

Yelle

"Apresentaram-me" estas new born stars do pop-clube francês. Gostei. Ora ponha o volume bem puxado e veja se isto não é contagiante.

O francês soa estranho, não? Mas é giro! Pode seguir a letra aqui.

13 de junho de 2008

Gasóleo em Espanha





Preços moderados e, mesmo assim, com margem para oferecer um atendimento de muito alta qualidade.

Abasteça em Espanha!

12 de junho de 2008

Parece que sou bruxo!

Eu não disse que o Governo se iria juntar aos manifestantes?
Pois cá está!
Basta ver algumas das medidas previstas no acordo:
  1. O valor do frete passará a ser indexado à variação do preço do combustível. Isso mesmo! Um absurdo. Aqui está o autoritarismo destes estatistas a negar o princípio elementar da livre concorrência. Até me custa a crer que no século XXI ainda se consiga legislar uma barbaridade destas. Prefiro acreditar que se trata de algum engano do jornalista;
  2. No próximo ano fiscal as despesas com combustíveis serão majoradas para efeitos de IRC. Isto é, as empresas transportadoras pagarão menos IRC. Ora, se uns pagam menos, é certo e sabido que vai sobrar para os outros...
  3. As empresas transportadoras apenas liquidarão o IVA depois de receberem do cliente o valor da factura que emitiram. Ora aqui está uma coisa que todas empresas do país gostariam: de só pagar o imposto depois do cliente ter pago. Mas isto não é para todas. É só para transportadoras. Quem foi discriminado?
  4. As facturas deverão ser pagas aos transportadores num prazo máximo de 30 dias, com coimas para os casos de incumprimento. Ora aqui está outra coisa que toda a gente quer. Que maravilha. O fim dos calotes. Pagas, pagas depressa, e se não pagares depressa... és multado e pagas na mesma! Fantástico! Pois... Mas não é para todos. Quem é que foi discriminado? Pois claro: todos os que não são camionistas!

E, afinal, não era nada disto que eles queriam. Nem era preciso. Bastava que o Governo se contentasse com a receita do ISP prevista no Orçamento de Estado. Que não cedesse à volúpia da cobrança. Bastava indexar o ISP à variação do preço dos combustíveis. Era fácil! E tinha a vantagem de abranger toda a gente, já que o preço dos combustíveis afecta toda gente. Ninguém teria que pagar as benesses dos outros. Só haveria aqui um prejudicado: O GOVERNO!

E foi por isso que O GOVERNO PREFERIU JUNTAR-SE AOS MANIFESTANTES.

11 de junho de 2008

Bloqueio de camionistas

Pergunta o Dr. Vital Moreira no seu blog:

O Governo deixou passar complacentemente as graves violações da liberdade e da legalidade perpetradas pela "greve" dos armadores de pesca (e ainda os premiou com várias cedências...). Agora parece ir também fechar os olhos à anunciada limitação da liberdade de circulação rodoviária pela "greve" das empresas de transporte. Quando um grupo profissional ou sindical decidir paralisar à força a entrada numa cidade ou a circulação numa auto-estrada, que vai fazer o Governo?

E eu alvitro:
Vai fazer o mesmo que alguns dos seus ministros fizeram no "outro" bloqueio, aquele de 1994, no tempo do "direito à indignação": juntar-se aos manifestantes.

República Checa


Jogámos com muita raça.

E por falar em raça, fica aqui a raça do Carlos Tê e do Rui Veloso. O BE deve estar a preparar-se para também lhes exigir explicações sobre a utilização deste conceito, próprio do Estado Novo e incompatível com a democracia.

Barack Soares

10 de junho de 2008

Ficha de auto-avaliação

Ora aqui está ela! Basta dar uns retoques e entregar. O desenrascanço tão típico dos Tugas.

Se calhar estes tipos até se levam a sério, mas para mim não passam dos mesmos socráticos, só que com a bússola avariada.

Energia e Ecologia

Sobre esta matéria, o Expresso de 7/6/08 trazia uns quadros anti-mito muito interessantes: o mito do automóvel e o mito do nuclear.

Dia da Raça


Bem gostava que o presidente Cavaco tivesse razão.
Mas, de facto, como as coisas vão, raça, só se for a do Puro Sangue Lusitano.
Fora dessa só se fosse a raça Tuga. Sim, que "lusitano" é um conceito próprio do Estado Novo e incompatível com a democracia.

9 de junho de 2008

Pode ser que sim

Com este apoio, a coisa fica menos complicada.

Obs:
Obama já afirmou que o apoio dos USA a Israel é, e será, incondicional e que o Irão deve compreender as consequências que sofrerá se vier a atacar Israel. Ou seja:


Antevejo que, em breve, Obama não passará de um Bush de pele escura.

8 de junho de 2008

Portugal impresses a 2-0 win over Turkey (CNN)

E dizia o Tuga no Marquês à reportagem da TVI:
Foi um grande jogo com grandes jogadas dos jogadores que jogaram.

7 de junho de 2008

6 de junho de 2008

Escola de futebol




O primeiro impulso foi pensar que não era coisa para ser apoiada por dinheiros públicos do Programa Operacional para o Potencial Humano, do Quadro de Referência Estratégico Nacional.
Mas logo me lembrei do CRonaldo e do LFigo, e também da Zvedin, da Nereide, da Romero e da Gemma, e logo mudei de opinião.


Só era capaz de fazer umas alteraçõeszinhas ao currículo. Em vez de Matemática, talvez Joalharia fosse mais produtiva. Quanto à Física, era capaz de a substituir por Penteado e Depilação. É só uma ideia, naturalmente.

4 de junho de 2008

America votes


Hillary obteve mais votos que Obama mas será este o candidato do Partido Democrata (já vi uma coisa parecida como esta algures na América).

John McCain deve estar a esfregar as mãos de contentamento.


Infelizmente, na minha opinião. Obama poderia enterrar o mito de que a política externa dos USA depende da origem partidária do presidente.

Nova colecção


Que seria dos seres humanos sem as mulheres?
Seriam raros; extremamente raros!


Mark Twain









(Publicidade à Ara (calçado) na Notícias Magazine)

3 de junho de 2008

Petróleo

Há muita gente convencida de que é o automóvel que consome a maior fatia dos combustíveis fósseis. E também há muita gente que continua a praguejar contra alternativas ecológicas.
Tudo gente intelectualmente superior, é claro.

1 de junho de 2008

Futebol

Cantámos o hino com energia e convicção.
E depois foi aquele espectáculo do Nulo Gomes, um verdadeiro fenómeno a jogar sem bola...

(valeu, no intervalo, a actuação das meninas do Instituto de Artes Musicais de Mangualde)