31 de agosto de 2005

O Azurara errou

Afinal "A Bola" mantém a "classificação dos 3 grandes".
E, surprise, o Sporting e Porto mudaram de posição, mas o Benfica mantém-se no mesmo lugar.
6º+

Fantástico!

30 de agosto de 2005

A quase equipa

Esta foi-me enviada por e-mail. Não resisti!


E por falar em futebol, aviso que "A Bola" desistiu da sua "classificação dos 3 grandes". Não está lá! Desapareceu! Às tantas por causa do número de riscos necessários. O gráfico ia ficar muito alto. Inestético. Além de que não poderia mostrar o tal risco vermelho antes da posição de 11º+

29 de agosto de 2005

Las ilusiones devastadas de Portugal

Los incendios que por tercer año consecutivo han devastado Portugal han encendido un debate que va más allá de la falta de medios y previsión para prevenir el fuego en los bosques. Los comentaristas y la clase política se interrogan sobre el rumbo del país, al que no ayuda una coyuntura económica adversa.

Pois é mesmo assim que começa um artigo do espanhol "El PAIS" sobre este nosso "jardim à beira-mar plantado". Vale a pena ir lá lê-lo. É sempre bom saber o que os outros pensam de nós. Às tantas, a articulista escreve:
...
El rumbo del Gobierno, liderado por el socialista José Sócrates, que llegó al poder en marzo pasado, es el mismo de uno de sus antecesores, José Manuel Durão Barroso, y de Pedro Santana Lopes. O sea, el rigor y la austeridad en los gastos públicos y más sacrificios para los consumidores. Tal y como había hecho Durão Barroso, Sócrates prometió durante la campaña electoral no subir impuestos, pero una de sus primeras medidas fue pasar el IVA del 19% al 21%. Según indicaron los sondeos, el electorado le perdonó esta primera frustración. Otras medidas posteriores le hicieron llegar al verano con el prestigio y la confianza que había conquistado bajo mínimos, lo que arrojó más madera a la hoguera del pesimismo.
El ministro de Hacienda, Luís Campos e Cunha, renunció al Gobierno poco más de 100 días después de asumir el cargo. Un duro golpe, dada la gran tendencia a huir manifestada en los últimos años por los gobernantes de Lisboa. Primero fue Guterres, en 2001, que se dijo incapaz de conducir los destinos del país, dado el "pantano" hacia donde caminaba. Después fue Barroso, que a la primera oportunidad prefirió cambiar Lisboa por Bruselas. Y sólo cuatro meses después, su sustituto fue destituido por el presidente de la República, harto de polémicas relacionadas con la figura de Santana Lopes. Un desgaste para el electorado y una sensación de que el país no es gobernable.
Pero antes de irse de vacaciones, Sócrates encendió la hoguera final que acabó por castigar su popularidad: eligió a diversos miembros del aparato del Partido Socialista, incluidos amigos personales suyos, para importantes cargos en la administración de empresas públicas o controladas por el Estado. Tras defender un discurso de austeridad, en el que insistió "en la moralización de la vida política y pública", impulsando leyes que recortaban los privilegios de los políticos y altos cargos de la Administración, era imposible cometer un error más grave. "Sócrates está fracasando en una de las vertientes esenciales de su proyecto político: recuperar la confianza de los portugueses en la clase dirigente y hacerles creer en su capacidad para superar la crisis", afirma Manuel Carvalho. Por primera vez, a finales de julio, Sócrates registró niveles negativos de popularidad en las encuestas publicadas mensualmente en la prensa.

...

28 de agosto de 2005

Que desperdício...


(foto da Visão)
Uma mulher destas, com aquele QI monumental... ai... ai...

A lusa obsessão pelo rigor dos números

O jornal "A Bola", edição on-line, apresenta um gráfico com a posição classificativa dos "3 grandes" no final de cada jornada. Lá estão os três risquinhos coloridos. Um risquinho verde na 3ª posição, um azul na 6ª, e um vermelho na posição... 6º+.
Ora 6º+ deve ser qualquer coisa abaixo de 6º mas acima de 7º. Deve, portanto, ser uma classificação de 6 vírgula qualquer coisa.
Quer isto dizer que o Benfica, no final na 1ª jornada do campeonato, estava na posição 6 vírgula qualquer coisa!
Isto faz-me lembrar aquela história do outro que telefonou "mais de duas vezes", e do valor do défice que se deverá situar nos 6,830%.
É extraordinário o apego dos portugueses à exactidão dos números...


Dão-se alvíssaras a quem adivinhar o gráfico no final da 2ª jornada.

Vitória (a águia)

Hoje não vi o jogo. Vinha em viagem e só ouvi o relato na Antena 1. Prometi a mim mesmo ser isento. Apreciar o jogo. O "jogo pelo jogo". Sem clubismos.
Pois foi. Mas depois daquele quarto de hora... não consegui resistir por mais tempo e...
passei a torcer pela melhor equipa!

GIL VICENTE

24 de agosto de 2005

Desterrado

O Azurara tem estado desterrado num oásis ... descansando...
Mas nem por isso se tem mantido afastado do que se passa na nossa terrinha.
Em particular, tem registado o êxito da acção governamental no combate às chamas em Coimbra - não ardeu quase nada, pelo menos nada que se compare com 2003 - e até viu o actual (porque regressado) Primeiro-Ministro agradecendo la preciosa ayuda de nuestro hermanos com dos 1/2 (medios) aereos.
E, obviamente, tomou conhecimento da polémica Netito-Mochito lá pelas Terras de Azurara e Tavares.
Muy bien...

19 de agosto de 2005

NÃO SE PERDE NADA EM TENTAR

(recebida por e-mail)

Está previsto que o preço da gasolina irá ultrapassar brevemente os 1,40 Euros/litro e o do gasóleo os 1,20 Euros/litro.
Quer que os preços baixem?
É preciso agir conjunta e solidariamente.


Alguém sugeriu uma ideia genial, muito mais sensata que aquela em que nos pedem para não comprar gasolina no dia tal e no dia tal. As empresas petrolíferas rir-se-iam desta campanha porque sabiam que nós não poderíamos ser continuamente prejudicados recusando sistematicamente comprar gasóleo e gasolina: seria muito mais uma estupidez da nossa parte do que um problema para elas (empresas).
Mas a proposta seguinte poderá ter resultados bastante eficazes, se para tal for levada a rigor. Leia completamente esta mensagem e junte-se a nós.

Os mercados internacionais aumentam constantemente os preços através de medidas especulativas como relatórios pessimistas, por exemplo, em relação à possível eleição dos ultra-conservadores no Irão no final do ano. Ridículo! As empresas petrolíferas e a OPEP querem fazer-nos crer que o preço que elas nos impõem é um bom negócio para ambas as partes. Mas, muito provavelmente, os 0,60 Euros/litro para o gasóleo e os 0,80 Euros/litro para a gasolina já seriam preços mais do que justos.
Parece existir uma cartelização no sector dos combustíveis. No entanto, o facto de ser um sector oligopolístico, e em que há paralelismo na fixação de preços, não significa, só por si, que há um cartel. Estamos perante um produto homogéneo em que o grande peso no preço final é o preço internacional do petróleo, o que implica um paralelismo na evolução dos preços. De facto, a Galp tem o monopólio da refinação e existe pouca importação directa pelas outras petrolíferas. Além disso, a Galp controla, também, uma série de infra-estruturas de armazenagem. Assim, a falta de concorrência estrutural no mercado português é um factor importante.
Temos de actuar decididamente para lhes mostrar que, num mercado livre e concorrencial, são ambos os compradores e os vendedores que controlam os preços de mercado e não apenas um deles. Face aos aumentos, por vezes até mais do que uma vez por semana, do preço dos combustíveis, devemos reagir como consumidores que somos. A única forma de se verificar a queda do preço terá de passar por uma vontade firme em não comprarmos gasolina ou gasóleo a essas empresas petrolíferas, mas sem que sejamos nós os prejudicados.
Como necessitamos das nossas viaturas não podemos prescindir dos combustíveis, mas, poderemos actuar de forma a ter um impacte real no mercado dos combustíveis se agirmos todos juntos contra estes preços.

EIS A PROPOSTA:
NÃO COMPRAR UMA GOTA DE COMBUSTÍVEL ÀS TRÊS MAIORES EMPRESAS DE COMBUSTÍVEIS NO PAÍS: GALP, BP E REPSOL.


EXISTEM OUTRAS EMPRESAS COMO A CEPSA, ELF, ESSO, ETC...

Se aquelas empresas virem as suas vendas de combustíveis reduzirem, serão obrigadas a baixar os seus preços. Se uma delas baixar os seus preços, as outras empresas terão também de os baixar.
Mas para criar o tal impacte, temos de conseguir a compreensão e a colaboração de milhões de clientes da Galp, BP e Repsol.
A Internet dá-nos a possibilidade de conseguir isso. Se esta mensagem for entregue a 10 pessoas e se cada uma destas dez a transmitir a dez pessoas amigas e assim por diante, esta mensagem será lida por cerca de UM MILHÃO DE CONSUMIDORES após seis gerações (envios).

Tudo o que temos a fazer é enviar desde hoje esta mensagem a dez pessoas amigas e pedir-lhes para fazerem o mesmo, as outras fazerem o mesmo e assim sucessivamente. E, claro está, em paralelo abster-se de reabastecer a(s) viatura(s) naquelas empresas, ou seja BOICOTÁ-LAS.
E é tudo!
Se agirmos conjuntamente vamos conseguir a diferença! Acredite que pode provocá-la e passe esta mensagem aos seus amigos e conhecidos.
Mesmo que não tenha viatura, pode distribuir a mensagem seguinte aos seus amigos, por uma guerra inteligente contra os preços das empresas petrolíferas...
NÃO SE PERDE NADA EM TENTAR

Dia extenuante...


teve José Sócrates, hoje que veio substituir o Primeiro-Ministro de Portugal.

O caso é tão grave que até a insuspeita (porque esquerdista) "Visão" acusa o toque

17 de agosto de 2005

"A Ota fica muito longe"

Disse-o Fernando Pinto, o administrador que resgatou a TAP da situação de falência.
Disse ainda que, com o tempo, a Portela ficará saturada e que, para evitar isso, deveria ser construído um pequeno aeroporto, próximo de Lisboa, direccionado para voos "charter" e companhias "low cost".
Mas disse mais:
Disse que a renovação do seu contrato ainda não tinha sido assinada pelo Ministro...

Venha daí o próximo boy!

Isto é notícia?


Parece que sim!
Em Portugal, é notícia o Primeiro-Ministro presidir ao Conselho de Ministros. Fantástico.
Bom, também é verdade que não se passou nada...

16 de agosto de 2005

Recomendado

Pousada da Flor da Rosa (Crato)
Numa antiga Igreja-Fortaleza da Ordem de Malta
Excelente!

Salutar e oportuna preocupação

é a revelada pelo superministro António Costa ao mandar indagar da existência de trabalho infantil nas corporações de bombeiros.

(no Público)
O Azurara pensa que, já agora, não daria muito trabalho mandar indagar se há menores a atear fogos.

Meios aéreos

Ontem, um incêndio florestal lá para o norte, zona de Bragança, salvo erro, galgou a fronteira. Mas em Espanha não ardeu quase nada. Rapidamente foi controlado.
Fiquei a pensar se não será por nós alugarmos meios aéreos

e os espanhois usarem mesmo aviões!

Jornalistas...

Duas vezes vírgula quê?

Sim, isto também deve ter um "nível" muito baixo. Quiçá subtârreno, quem sabe. Ou tão baixo que será mesmo "abaixo de zero".
Pois... Mas não fui eu que escrevi isto:

O superministro foi ao Parlamento informar os deputados que mandou o primeiro-ministro e o Presidente da República continuarem em férias. Costa disse a Sócrates e a Sampaio que "o que tinha de ser feito estava a ser feito". Por qualquer razão que a razão desconhece, os chefes do Executivo e do Estado acreditaram.

É melhor ler tudo aqui. É onde se explica que o PM telefonou duas vezes vírgula qualquer coisa (que isto da exatidão é muito importante) para saber se havia de interromper as férias por causa dessa bagatela dos incêndios, tendo ficado tão sossegado com as palavras do superministro que, vindo do safari, se foi logo refugiar num ressort algarvio.

Mas foram palavras avisadas as do superministro. É que, de facto, e contrariamente a anos anteriores, a responsabilidade (pelos fogos florestais e pelo seu combate) não é do governo.

13 de agosto de 2005

Fim-de-semana

O Azurara vai estar dois dias fora.
Claro que não vai fazer um safari no Quénia, nem vai para um "ressort" de luxo no Algarve.

12 de agosto de 2005

Estudos para quê?

A malta (do PS) quer construir um novo aeroporto e tem de ser na OTA.
É uma decisão política. Está tomada. Então, não são necessários estudos.
Quem o disse foi o ex-ministro das Obras Públicas, João Cravinho, argumentando que os estudos "seriam munições para políticos que não sabem pensar."
Ora aqui está. A coerência do pensamento socialista. Isto é tal e qual como na história das SCUT's. Tal e qual como na história dos Estádios.
A malta constroi e manda a conta para o Orçamento!
Assim os portugueses não pagam nada. É tudo à borla...

Rainha Rita Rania


Os jordanos têm uma Rania.

Nós temos uma Rita.


Porra! Até nisto?...

Do Quénia



É pá, eu até queria voltar... mas este tipo não deixou...
(foi o que disse o segundo, na A.R., defendendo o primeiro)

11 de agosto de 2005

Carta de Eleitor

Do amigo Carneiro, destaco estes parágrafos que provocam inquietação e devem merecer sadia reflexão:

...
Aliás, sou adepto de uma "carta de eleitor", parecida com a carta de condução. Para se votar não basta ter 18 anos. É preciso conhecer os programas dos partidos, saber o que é o deficit do orçamento, perceber o que a concessão de um subsídio de doença afecta ou não os impostos que são exigidos á comunidade, perceber os mecanismos básicos da economia, conhecer o funcionamento dos orgãos autárquicos, saber o que depende do presidente da câmara e o que depende do poder central, etc.
Há pessoas que no dia da eleição dizem, à reportagem:
"Então, vim deitar o meu voto pelo cavaco/soares".
E porque votou nele ?
"Então porque acho que é boa pessoa".
Ora, ..., senhores ouvintes. É que este "esclarecido" voto interfere com o futuro dos meus filhos. Ando aqui a dar o litro por eles, para depois uma cambada de ignorantes escolher, sem critério ou fundamento, o primeiro santana ou socrates que lhe apareça pela frente e que vai decidir a vida daqueles por quem tanto me esforço.
Por isso, para se votar, seria necessário fazer um exame, para aferir se as pessoas estão ou não suficientemente esclarecidas sobre o sentido do seu voto e sobre a matéria que vão votar.
...
Leia o texto todo aqui.

Petróleo

Será que vamos esperar até que o barril esteja nos 100 USD para decidir da construção de uma coisa destas?

Contrariamente às OTA's e TGV's, este sim, será um verdadeiro (e inevitável) investimento. Reduziremos em cerca de 40% a nossa dependência do petróleo e lançaremos para atmosfera, não mais que, vapor de água!

Sr. Lic. Sousa... Alôooooo...

U2

Também gosto.

Até já foi tema musical no Terras de Azurara.

Mas daí a dar-lhes uma comenda...

Bono e The Edge vão ficar todos "fanecas" de comenda ao pescoço. E, se a cerimónia for antes do concerto, até dá para irem para o palco "encomendados".

Enfim...
Há outras formas de arranjar uma entrada no estádio



(Ordem militar de Santiago de Espada)

9 de agosto de 2005

CGD

Eu sabia. Bem lá no fundo, eu sabia.
Eu sabia que havia de haver uma razão para a Caixa Geral de Depósitos se manter no sector empresarial do Estado Português. A CGD, bem como muitas outras.
Mas sempre pensei que se tratasse de alguma questão económica estratégica para o País.

Afinal não é nada disso. Estas empresas apenas se mantêm no sector público pela razão mais mesquinha e desprezível:
É que, assim, podem-se nomear uns quantos tipos para receberem umas valentes "massas" enquanto administradores, e, ao mesmo tempo, podem pagar-se umas boas "lecas" a outros tipos, entretanto despedidos.
Só me apetece gritar:
M E R D A A A A A A A...

7 de agosto de 2005

Passeio pelo Távora

Seguimos o rio. Absolutamente seco. Desolador!

Até ao Convento de Freixinho, restaurado.

Muito bem restaurado! Hotel e restaurante. Com uma classe tranquila.

E o cabrito estava excelente!


Um bom trabalho do Grupo Visabeira.
Poderia ter esta configuração a solução para o Real Mosteiro de Santa Maria de Maceira Dão?

War of the Worlds

Fui ver e vim desiludido.

Achei Spielberg ao seu nível, mas com aquele argumento...
Era preciso meter um drama familiar no centro da acção?

Esta obsessão do "social" ...

6 de agosto de 2005

Russas em Mangualde

Sim, músicas russas em Mangualde. De S. Petersburgo. Muito boas músicas, por sinal. Foi hoje, 5 de Agosto, no Auditório do Centro Paroquial.
A adesão à Comum - Rede Cultural está a revelar-se claramente vantajosa.
Um concerto de rara qualidade, provavelmente impossível noutro contexto.
Um regalo para o ouvido ... e para os olhos, como se vê nas fotos.
O "cardápio":

5 de agosto de 2005

Shakira

Diz que gostava de viver nua.

Pois que viva e seja feliz, nua.

Mas, o Azurara exorta todas as mulheres a não seguirem o exemplo desta senhora. Não vivam nuas, por favor!

Já viram o que seria do nosso (dos homens) supremo êxtase do "adivinhar", do "abrir", do "desabotoar", do "desapertar", do "descobrir"...

Vá lá! Vestidinhas ... ma non tropo

(Foto da Visão)

4 de agosto de 2005

Serra da Estrela

Num entardecer excepcionalmente límpido.
À esquerda, Gouveia. Ao fundo, à direita, Seia. Distingue-se, claramente, o paredão da Lagoa Comprida. (nestes dias faz-me falta uma câmara profissional...)
Clique para ampliar . Para ampliar "a sério", procure o ícone no canto inferior direito da imagem (ampliada) e clique-lhe.

3 de agosto de 2005

Esquerda - Direita

No meio de uma discussão com o "el gato", o "carneiro" escreveu a "peça" que aqui reproduzo. Nem esteve especialmente preocupado com a sintaxe nem com a ironia, como é seu timbre. Mas, ainda assim, o "post" vale uma reprodução. Aqui vai:

O meu ponto, o meu desespero com a vida portuguesa, é que ainda perdemos tempo a discutir como as coisas deveriam ser, em vez de olharmos para elas e fazermos o melhor que pudermos para as rentabilizar.
Hoje em dia, a diferença esquerda-direita num governo não existe. Governar é gerir a crise, tentar controlar a despesa publica, tentar que o país não entre na bancarrota. (e infelizmente, todos e sem excepção, incluir os amigos na partilha da sopa rica).
Mas existe a diferença esquerda-direita nos normativos constitucionais e legais que não admitem flexibilidade à sociedade económica. E é neste aspecto que me queixo da esquerda. Sobretudo da esquerda histórica que foi perseguida antes do 25 de Abril, mas que se apropriou do país logo após. A esquerda histórica em Portugal, hoje em dia, é factor de atraso cultural, retrocesso económico e inviabiliddae de futuro.
Nem tudo no PS é assim, mas está lá a maioria dos que assim pensam. Como existem alguns, bastantes, no PSD. São facéis de identificar. Basta ver quem é que neste país tem direito a uma reforma ou subvenção em regime especial. Esses, os beneficiados do regime, são os únicos que não admitem mudanças. Curiosamente são sempre esses que estão no poder.
Olha, el gato, tenho 3 filhos - 16, 12 e 5 anos. A minha grande preocupação de Pai é prepará-los para viver e trabalhar em Espanha ou noutro País onde eles tenham viabilidade. Porque em Portugal eles não têm futuro. E as notas da mais velha, no 10º ano, foram dois 20, dois 18 e o resto 19. Mas mesmo assim não tem futuro neste país. Porque a excelência e a competência não são - nunca foram - premiados. Espero que este exemplo de afecto paternal te elucide quanto à minha elevada intenção na crítica que faço a este país de merda, entupido à modernidade por aqueles que, por serem os detentores do poder político - e da comunicação social- são os exactos beneficiários do regime. E por isso, não admitem que seja alterado, mesmo que acenem com ameças totalitárias da direita e merdas quejandas para assustar aqueles que querem a mudança.
Um exemplo do que afirmei sobre o subsídio de desemprego:
Um empregado de escritório, com ordenado base de 1000 Euros, fica desempregado e passa a receber, por hipótese, 750 Euros até ao limite de 36 meses. Uma leitura de esquerda desta situação, faz com que este fulano permaneça até ao final do período naquela situação a menos que lhe surja um possibilidade de emprego acima dos 750 Euros. Uma leitura de direita faz com que o subsidio seja apenas a garantia de que o Fulano não passe fome, mas se surgir uma hipotese de emprego, mesmo nas obras, por 600 Euros, ele é obrigado a aceitar. E o Fundo de Desemprego só lhe dá a diferença até aos 36 meses. E se ele não quiser ir para as obras passa a receber apenas a diferença entre os 600 e os 750. Porque não é este o sistema em vigor, importamos imigrantes para as obras - que exportam os salários para a terra deles - enquanto os nossos desempregados de escritório continuam desempregados durante 36 meses, e depois fazem um, e mais um, curso de formação sobre jardinagem municipal e assim paulatinamente até o país esgotar os subsídos de desemprego. Porque vai haver um dia - como aconteceu na Argentina - em que não vai haver dinheiro para pagar os subsídios sociais ou os vencimentos de todos os funcionários publicos. E nessa altura, à força e com acrescido sofrimento pessoal, acabarão por ir para o desemprego cerca de meio milhão de funcionários públicos que não fazem qualquer falta ao funcionamento do estado.
A esquerda historica é muito generosa na partilha dos subsídios sociais. Mas dividir não custa. Basta ter uma máquina de calcular.O que é difícil é garantir a produção, a riqueza, que depois possa ser distribuída. E o deficit significa apenas isso: está-se a distribuir riqueza que não existe, recorrendo ao crédito. Um dia destes, esta merda estoira. Para todos. Para a esquerda e para a direita. Só que nós, os governados, ficamos cá a passar fome e miséria, mas os beneficiados do regime terão meios acumulados para ir viver para o Brasil. À excepção do Santana Lopes, claro, que por ser o único a não ter acumulado riqueza, vai ficar cá a viver connosco.
Agora imagina o nosso drama acrescido de ainda ter de levar com ele...

Parabéns ao "carneiro", pelo desassombrado texto, e pelos três filhos.

Vens p'ra ministro, mas...


(no Público)
A primeira grande medida do novo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, foi a de fazer a vontade ao primeiro-ministro e substituir a administração da Caixa Geral de Depósitos, uma mudança que Campos e Cunha recusara por considerar que a equipa de Santos Martins estava no início do seu mandato e interessava manter a estabilidade na instituição, que agora passa a ser presidida por um gestor socialista.
O Presidente da República soube das mudanças pela comunicação social e não gostou.

CGD terá de pagar 2,25 milhões de euros aos gestores demitidos (a bem da "sindicabilidade")

De funcionário administrativo a administrador da Caixa (uma Vara com sólidas Fundações)

Isto sim! Isto é um nojo!

Ditosa lista



que taes candidatas tem

2 de agosto de 2005

Inspiração?

O Azurara regista com prazer o contributo enviado por email pelo jovem amigo CL.
Diz ele que o Bloco não é tão original como possa parecer, e alega que o cartaz "Foi para isto?" se inspirou, claramente, neste outro ... da autoria da JSD.

O Azurara pensa que é muito pertinente a observação feita por CL, e aproveita para o convidar a participar, comentando.

Pressa




Jorge, não queres ir para casa já em Outubro?
Não tenhas problemas, pá!



(Público)