27 de novembro de 2008

Impensável


Convidar o ministro da defesa do governo anterior?
Sim... nos States!
Entretanto, Obama surpreende...

20 de novembro de 2008

SIMPLEX

Sem prejuízo de vir a afinar a minha opinião quando tiver conhecimento do desenvolvimento das propostas, não posso negar que reconheço alguma abertura.
Contudo, teria sido preferível deitar fora toda a tralha do "eduquês" que polvilha - e complexifica - a avaliação de desempenho dos professores e concentrar a atenção naquele que é o centro da acção docente: a sala de aula.

Volta Scolari...

13 de novembro de 2008

Comparação oportuna

Comparar o que se tem passado nas escolas nos últimos dois anos com a barafunda gerada com o atraso da colocação de professores no tempo do ministro David Justino é como comparar um episódio infeliz com a própria infelicidade. E o ministro David Justino caiu por causa disso.

Ex-ministros

Três ex-ministros da Educação, engenheiros, à conversa sobre a "crise da avaliação".

12 de novembro de 2008

Correia de Campos 2.0

A Presidente do Conselho Executivo do Infanta D. Maria confirmou hoje, de viva voz, que a avaliação estava suspensa naquela escola. Não disse que havia uma moção aprovada - seria mais uma - nem nada de parecido com o que tem sido divulgado. Disse, com toda a serenidade, que o processo de avaliação estava suspenso.
A Ministra não reagiu. Não tomou qualquer medida.
Assim, criou condições para que, da reunião dos conselhos executivos de Coimbra que amanhã se realiza, saia a resolução de suspender a avaliação nas várias escolas.
Não é difícil prever a velocidade com que o fenómeno se propagará pelo país.
...
E se isto se confirmar, não é difícil adivinhar o que José Sócrates irá fazer.

Ó pérola das pérolas

Esta !

11 de novembro de 2008

Soares - para mais tarde recordar

Em terra de unanimismos


O que irá agora dizer o nosso bom povo de esquerda?

e-escolinha

Os pais que queiram adquirir um Magalhães ao abrigo do programa e-escolinha preenchem uma ficha de inscrição onde escolhem o operador de telecomunicações que lhes entregará o equipamento, indicando, ainda, se pretendem aderir à banda larga e assinam, também, um termo de responsabilidade onde delegam na escola a competência para efectuar a inscrição do respectivo educando.
A seguir, é o professor que procede à inscrição on-line, depois de se ter identificado com o seu próprio número de contribuinte. E é ao próprio professor que cabe indicar a largura de banda e o volume de tráfego pretendido – com ampla variedade de preços – opções que não constam da ficha preenchida pelo pai.

Deve ser para isso que serve a “delegação de competências”, não?

E o número de contribuinte do professor servirá para quê?

10 de novembro de 2008

Palavras estudadas

A ministra começou a conferência de imprensa - enquanto 120 mil professores protestavam na rua - dizendo qualquer coisa como:
"Este não foi o pior dia da minha vida enquanto ministra. O pior foi o da greve aos exames."
Penso que estas palavras foram prévia e cuidadosamente estudadas...
...
Irá Sócrates "remodelá-la"?

8 de novembro de 2008

120.000 professores

80% dos professores portugueses!
É um sinal inequívoco.
Mas fico com a ideia que grande parte dos professores acha que Maria de Lurdes Rodrigues não faz parte do governo de José Sócrates e do Partido Socialista.

Avaliação de Desempenho

Externa.

Só lhe vejo vantagens.
O problema deverá residir no número de avaliadores externos necessários.

6 de novembro de 2008

Violência escolar

Um aluno agrediu uma professora. Mais um.
Sabeis qual é a sanção mais gravosa que uma escola pode aplicar a um aluno?
Transferência de Escola!
Está na Lei 3/2008.

Barack Hussein Obama



Obama ganhou folgado.

Temo que daqui a uns meses os tipos que lhe andaram a cantar loas o estejam a epitetar de "barraca" obama.
Pela minha parte, vou ficar a aguardar o prometido desmantelamento da base ilegal de Guantánamo Bay. Da mãe de todas as crises, nem falo...

3 de novembro de 2008

Recessão?


Isso seria terrível!

O que nos vale é que estes senhores da Comissão Europeia, à semelhança dos do FMI, não devem ter credibilidade.
Ainda bem que o Senhor Primeiro-Ministro escreveu em Lei (na do Orçamento, que há-de ser publicada) que a nossa economia iria crescer 0,6% em 2009.
Se está em Lei, está em Lei. E a Lei é para cumprir.
Chega de tipos catastrofistas.

Viva o Senhor Primeiro-Ministro!

1 de novembro de 2008